Aerial, Essequibo River 

Amazônia

As florestas tropicais da bacia do rio Amazonas e do Escudo das Guianas são vitais para a vida na Terra — e estão sob ameaça

© Pete Oxford/iLCP

 

AMAZÔNIA EM NÚMEROS

10%
de todas as espécies conhecidas

A floresta amazônica abriga a mais rica biodiversidade de qualquer ecossistema do planeta.

20%
da água doce do mundo

O sistema fluvial da Amazônia também fornece energia hidrelétrica para milhões de pessoas.

30 milhões
de pessoas vivem na bacia amazônica

A região abriga tantas pessoas quanto Tóquio, Cidade do México e Nova York juntas.

As florestas da Amazônia - a vasta bacia do rio Amazonas e o Escudo das Guianas na América do Sul — estão desaparecendo rapidamente. Quase 6.000 quilômetros quadrados (3.600 milhas quadradas) de florestas foram perdidos em 2015 apenas na Amazônia brasileira. Se isso continuar, a humanidade enfrentará a perda irrevogável de um dos maiores refúgios de biodiversidade, água doce e resiliência climática: as florestas sozinhas fornecem 30% da solução para as mudanças climáticas.

Os próximos cinco anos são extremamente importantes para a Amazônia. O aumento da demanda global por recursos aumenta o risco de desmatamento que coloca a região, seu povo e o mundo em risco. Com isso em mente, a Conservação Internacional e seus parceiros estão buscando uma estratégia ambiciosa para conservar a natureza na Amazônia para que ela possa continuar a dar suporte a todos nós.

O desafio

A expansão agrícola insustentável, o desenvolvimento de estradas e as indústrias extrativas estão destruindo desnecessariamente a floresta Amazônica e os serviços que elas fornecem (como controle de enchentes e armazenamento de carbono). As atividades humanas já removeram 10% da floresta amazônica, uma área com o dobro do tamanho do Texas.

O objetivo

Objetivo da Conservação Internacional: atingir o desmatamento zero na Amazônia para proteger os recursos essenciais, mitigar as mudanças climáticas e aumentar o bem-estar das pessoas.

 

Nossa estratégia

Neste mapa, a Amazônia está dividida em três “zonas”: verde, amarela e vermelha.

  • Zona Verde: Os aproximadamente 45% da Amazônia que é composta por floresta formalmente designada como áreas protegidas ou terras e territórios indígenas.
  • Zona Amarela: Estima-se que 46% da Amazônia é, em sua maioria, floresta para a qual o uso (ou proteção) ainda não foi formalmente definido.
  • Zona Vermelha: Os 9% restantes da Amazônia já foram convertidos para a agricultura, transformados em cidades ou degradados para atender à demanda por alimentos, moradias, energia e empregos.

NOSSAS SOLUÇÕES

© Adriano Gambarini

1. Fortalecer e expandir a Zona Verde

Aproximadamente 44% da Amazônia está dentro da “Zona Verde,” onde a Conservação Internacional ajudará a consolidar e fortalecer a gestão de áreas protegidas existentes e terras e territórios indígenas. Mesmo nessas unidades de conservação, até o momento, 3% das florestas já foram desmatadas. A Conservação Internacional enfatizará o potencial de geração de renda das áreas protegidas (como ecoturismo e fundos fiduciários), ao mesmo tempo que promove o desenvolvimento sustentável, o compartilhamento de benefícios e a resolução de conflitos para uma conservação duradoura.

 

© Neil Palmer/CIAT for Center for International Forestry Research/Flickr Creative Commons

2. Evitar o desmatamento na Zona Amarela

A zona de maior risco, a “Zona Amarela” é a linha de frente para reverter a maré de destruição, pois abrange grandes áreas de floresta relativamente intactas ainda não designadas para proteção — ou para produção. A abordagem da Conservação Internacional inclui assessoramento sobre o estabelecimento de novas áreas protegidas e terras e territórios indígenas; expansão de programas que incentivam as pessoas a proteger suas florestas, dando-lhes benefícios econômicos; aumentar o acesso ao financiamento climático para o desmatamento zero; e promover a adoção da contabilidade do capital natural como uma estrutura para o desenvolvimento sustentável de longo prazo.

 

© CRISTINA MITTERMEIER

3. Aumentar a produção sustentável na Zona Vermelha

Na “Zona Vermelha”, onde as florestas da Amazônia já desapareceram ou foram severamente degradadas, a Conservação Internacional promoverá a agricultura sustentável e o planejamento de desenvolvimento inteligente para reduzir a pobreza e minimizar o impacto da infraestrutura e extração mineral — dois dos principais vetores do desmatamento nestas áreas mais densamente povoadas. Desde a garantia de compromissos do setor privado em cadeias de abastecimento sem desmatamento até a integração da biodiversidade e gestão de ecossistemas à infraestrutura e ao desenvolvimento extrativista, a Conservação Internacional visa prevenir novas perdas florestais.

 

© CI Peru/Marlon del Águila

Povos Indígenas e Comunidades Locais

Our Future Forests/Nossas Futuras Florestas - Amazônia Verde está trabalhando para conservar até 12% da Amazônia - cerca de 73 milhões de hectares (180 milhões de acres) - até 2025. Apoiado pelo governo da França, o projeto é uma das prioridades de conservação da Aliança para a Proteção de Florestas Tropicais, iniciativa para a proteção, restauração e manejo sustentável de florestas tropicais.

Saber mais