Tapajós Sustentável e Resiliente

Criando um porto de desenvolvimento sustentável e impacto social no coração da Amazônia

© Flávio Forner

 

É resiliente o que é capaz de voltar rapidamente à condição anterior depois de passar por dificuldades ou por mudanças e é sustentável o que provê para a geração atual sem comprometer as futuras. 

No sudoeste do estado do Pará, onde, de um lado existe pressão pelo desenvolvimento econômico predatório e do outro a necessidade de conservar as florestas, a biodiversidade e os povos tradicionais, a Conservação Internacional atua junto a parceiros para potencializar o valor de produtos sustentáveis dos povos da floresta em favor da biodiversidade e das comunidades que vivem na bacia do Rio Tapajós. 

 

Mas como vamos chegar lá? 

Garantindo a proteção do capital natural – água, floresta, sociobiodiversidade – por meio do fortalecimento das cadeias produtivas nas Florestas Nacionais do Tapajós, Trairão e Itaituba 1, melhorando na gestão dos ativos ambientais e conservando a biodiversidade.

 

A REGIÃO

  • O projeto Tapajós Sustentável e Resiliente atua em três unidades de conservação (UC), em um total de 1 milhão de hectares
  • A região tem potencial de produção produtos não madeireiros como o açaí, látex, óleos, castanhas, mandioca, fibras vegetais, mel e outros 

 

 

DESAFIO 

A pressão da expansão irregular de commodities e pecuária extensiva, mineração ilegal, extração e comércio ilegal de madeira e o baixo índice de desenvolvimento humano são desafios enfrentados na região. 

VISÃO

Uma sociedade que cuida do seu capital natural – fonte dos benefícios e serviços que a natureza fornece para pessoas, produz riquezas de modo sustentável e estabelece uma governança participativa e transparente. 

OBJETIVO

Fortalecer a produção sustentável de baixo carbono, conservando o capital natural e sociocultural do Tapajós, e contribuindo para uma região resiliente às mudanças climáticas, com relevante liderança local. 

 

 

Casa de Farinha don Maria
© Thiago Camara

Nossas Ações

  • Unidade de beneficiamento madeireiro instalada na FLONA Tapajós
  • Mapeamento do potencial econômico dos produtos florestais não madeireiros do Tapajós
  • Mapeamento das organizações socais do Tapajós
  • Elaboração da cartilha e resumo executivo do Plano de Manejo da Floresta Nacional do Tapajós
  • Fortalecimento da cadeia de móveis artesanais de madeira caída
  • Chamada pública para o fortalecimento das cadeias florestais não madeireiras das três Florestas Nacionais e seus entornos
  • Capacitações técnicas






Amazonian children playing at Igarapé

Acompanhamento das atividades em implementação:

  • Mapeamento e engajamento dos potenciais beneficiários do edital de chamada pública (TDR 006/2020);
  • Elaboração do Plano de Negócios da unidade de beneficiamento madeireiro da COOMFLONA (TDR 018/2020);
  • Processo de obtenção da licença de instalação da unidade de beneficiamento madeireiro da COOMFLONA;
  • Desenvolvimento do módulo de transparência;
  • Mapeamento do potencial econômico das cadeias produtivas não madeireiras do Tapajós (TDR 068/2020);
  • Elaboração dos projetos arquitetônicos para a construção e revitalização dos barracões de móveis artesanais da Flona Tapajós e Trairão;
  • Elaboração do resumo executivo e cartilha do plano de manejo da Floresta Nacional do Tapajós.

 

 

© Conservation International/photo by Russell A. Mittermeier
© Art Wolfe/ www.artwolfe.com
© Flavio Forner