Pesca + Sustentável

Mais transparência às cadeias de produção e comercialização de pescado no país

© Flavio Forner

 

Atualmente, mais de 80% das espécies de pescado economicamente exploradas na costa brasileira estão ameaçadas pela pesca predatória e ilegal. Além disso, a maioria das 536 mil toneladas de pescado marinho extraída no Brasil é feita de forma não sustentável, comprometendo as espé​​​cies e o futuro das comunidades que dependem da pesca para sobreviver. Para melhorar a vida das famílias de pescadores na costa brasileira, o programa Pesca+Sustentável da CI-Brasil tem como objetivo construir um sistema de rastreamento do pescado que oferecerá mais transparência às cadeias de produção e comercialização no país.

Com o programa Pesca+Sustentável, a Conservação Internacional e​stá desenvolvendo o primeiro pescado reconhecidamente sustentável do Brasil, por meio de pactos entre produtores e consumidores de pescado.

Ao sentar para deliciar um fruto do mar, o consumidor de um restaurante pode escanear um QR code e conhecer exatamente o trajeto do pescado da rede até à mesa. Presente nos Estados da Bahia, Rio de Janeiro e Pará, o programa está avançando para viabilizar um pescado de mais qualidade para as mesas brasileiras.

​Em 20 anos, o objetivo é criar regiões de referência para a conservação marinha, propiciar espécies conservadas, pescarias sustentáveis e comunidades que se beneficiem desse desenvolvimento, bem como iniciar um processo de consumo responsável junto ao mercado interno.​​​​​​​​

 

Pesca da tainha araruama
© Thiago Camara

Pescarias e Localização

O programa Pesca+Sustentável está presente nos Estados da Bahia, Pará e Rio de Janeiro. Para iniciar os trabalhos, selecionamos um conjunto de pescarias que atentem um conjunto de pré-requisitos para alcançar a sustentabilidade, em parceria com pescadores da Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extrativistas Marinhas e Costeiras do Brasil (CONFREM). Pontos como a organização das comunidades de pesca, sua capacidade de controlar, manejar e monitorar as espécies pescadas, bem como os arranjos na cadeia de comercialização foram analisados nesta seleção. As primeiras pescas participantes foram o robalo, caranguejo-uçá e tainha. E agora mais frutos do mar fazem parte: ostra, vieira e o bijupirá. Através do incentivo e capacitação dos pescadores, já conseguimos avançar com práticas que protegem o meio ambiente e asseguram o bem-estar humano. A proposta do Pesca+Sustentável alavanca a economia das regiões onde ele acontece.