Retrospectiva 2021

dezembro 22, 2021

header-1

Vamos encerrando 2021 com muitas conquistas e desafios. Vivemos mais um ano especialmente complexo em função dos efeitos da pandemia, mas graças aos nossos colaboradores, parceiros, doadores, conselheiros e ao apoio da nossa comunidade online, conseguimos mais uma vez alcançar resultados significativos em prol das pessoas e da natureza.  

O ano que se encerra deixa uma mensagem clara: a crise climática está aqui. Não há mais dúvidas sobre o nosso impacto, como seres humanos, no clima do planeta. A hora de agir é agora. O futuro vai ser determinado pelas nossas escolhas e ações no presente e somos gratos por poder afirmar que a Conservação Internacional faz parte da solução. Abaixo, um breve resumo do que realizamos neste ano.

 

 

 

NATUREZA PARA O CLIMA 

The Reforestation Fund: BTG Pactual e CI fazem parceria para conservação e restauração 

BTGci_29918796_Medium

Combinando a expertise do Timberland Investment Group, do Banco BTG Pactual, em silvicultura comercial sustentável e manufatura em escala, com a experiência da Conservação Internacional em conservação e restauração de florestas, a colaboração inédita anunciada em 2021 procura empregar US$ 1 bilhão em cinco anos e proporcionar benefícios climáticos, ambientais e sociais em grande escala aliados a retornos financeiros no Brasil, Uruguai e Chile, além da recuperação de ecossistemas a longo prazo. Na parceria, atuaremos como uma organização conselheira de impacto do The Reforestation Fund, para fornecer informações e análises que ajudarão o grupo de investimentos a alcançar impactos ambientais, climáticos e sociais positivos, na carteira de investimentos do Fundo. 

Especificamente, teremos como objetivo:   

  • Conservação e restauração de centenas de milhares de hectares de florestas nativas em paisagens degradadas 

  • Plantio de centenas de milhões de árvores em florestas comerciais manejadas de forma sustentável e certificadas de forma independente 

  • Provisão de dezenas de milhões de toneladas de mitigação de carbono  

  • Engajamento comunitário robusto e direcionado ao emprego rural equitativo  

 

Restauração de 2 milhões de árvores até 2025 

viveirista-1

A CI-Brasil vem executando o projeto de restauração florestal junto a iniciativa Mastercard Priceless Planet Coalition. Ao total, estão sendo restauradas 2 milhões de árvores (cerca de mil hectares) no Maranhão, no território de Abrolhos Terra e Mar (no Sul da Bahia), na Bacia do Xingu (nos estados do Mato Grosso e Pará) e na Amazônia Ocidental (em Rondônia), usando quatro métodos de restauração: regeneração natural assistida, muvuca de sementes, nucleação e plantio direto de mudas. A implementação do projeto ocorrerá até 2025. 

A Mastercard Priceless Planet Coalition é uma iniciativa global que alcançará um total de 100 milhões de árvores restauradas e monitoradas em territórios estratégicos, até 2030 (cerca de 50 mil hectares).

 

Amazônia Ocidental + Tapajós

O Projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia (ASL Brasil) fechou o ano de 2021 apoiando 1,3 mil áreas em regeneração natural em Unidades de Conservação dos quatro estados diretamente beneficiados pela iniciativa (Acre, Amazonas, Pará e Rondônia). O suporte logístico e financeiro do projeto também contribuiu para a aceleração de Cadastros Ambientais Rurais (CAR), adiantando o registro de 4.587 imóveis em programas que habilitam o produtor rural a planejar, junto com governos estaduais, o uso do solo para uma gestão sustentável. 

Ao menos 60 famílias da Área de Proteção Triunfo do Xingu (no Pará) foram beneficiadas com a construção de 16 viveiros em 2021. O ASL Brasil também beneficiou a Reserva Extrativista Alto Juruá (no Amazonas) com a entrega de duas câmaras frigoríficas para o pescado de pirarucu e forneceu energia elétrica à indústria de polpa de frutas da Floresta Nacional do Tapajós (no Pará). Adicionalmente, por meio do Projeto Tapajós Sustentável e Resiliente, foi elaborado o plano de manejo da Floresta Nacional do Tapajós, com informações para moradores e visitantes da região. Este é um importante documento para a gestão sustentável da Unidade de Conservação. Pelo projeto também foram realizadas oficinas de capacitação em associativismo e corporativismo e elaborados planos de desenvolvimento com organizações comunitárias locais, além de estudos e projetos para o avanço de iniciativas de bioeconomia na região. 

 

União pela Restauração na COP26 

COP

As soluções baseadas na natureza para a mitigação da crise climática estão no centro do trabalho da CI-Brasil e elas ganharam destaque nos painéis promovidos durante a COP26 em Glasgow na Escócia. Durante a Conferência das Partes do Clima, representantes da CI-Brasil, WWF-Brasil, TNC-Brasil e WRI-Brasil apresentaram a Union4Restoration, uma ambiciosa iniciativa que visa contribuir diretamente para o movimento global da Década da Restauração de Ecossistemas, ampliando a restauração no Brasil. Unindo forças para uma meta comum de 10 anos, o objetivo é restaurar até 4 milhões de hectares de florestas e paisagens na Amazônia, no Cerrado e na Mata Atlântica. O evento apresentou a união que busca fortalecer as alianças regionais, destacando os avanços alcançados até o momento e os próximos passos para acelerar as ações no país. Miguel Moraes, Diretor de Sênior de Programa representou a CI-Brasil no painel, que está disponível aqui.

 

CONSERVAÇÃO DOS OCEANOS 

A natureza e as pessoas podem prosperar juntas: Turismo + Sustentável

Há mais de 20 anos atuamos na região dos Abrolhos, na Bahia, e há seis anos, de maneira mais intensa, conectando turismo sustentável e áreas protegidas. Unindo aprendizados e as relações de parceria que foram construídas no território, lançamos em 2021 o Programa Turismo + Sustentável para mobilizar, integrar e qualificar o setor do turismo, inovar nas oportunidades de geração de renda e tornar as iniciativas potenciais ou já existentes mais sustentáveis, por meio do empreendedorismo de impacto social e soluções baseadas na natureza. 
 
Neste ano, realizamos o inventário turístico no território de Abrolhos Terra e Mar com o mapeamento de 800 atores envolvidos no segmento, sendo 57% do comércio turístico, 15% do terceiro setor, 13% do setor público, 3% da sociedade civil e os 12% restantes, pessoas de outros setores privados, cultura e educação. A co-criação da rede de turismo mais sustentável ocorre desde junho. O coletivo que já conta com mais de 90 pessoas é formado por 48 atores principais que participam em conjunto de uma série de workshops on-line para a construção do conceito e da identidade da rede.

Confira mais sobre os avanços do Turismo + Sustentável.

 

PAISAGENS TERRESTRES SUSTENTÁVEIS

De mãos dadas com os povos indígenas

Nosso ano foi marcado por ampliação de parcerias com comunidades indígenas. Com o início da execução do Projeto Nossas Futuras Florestas - Amazônia Verde, começamos a implementação de ações em territórios indígenas nos estados do Acre, Pará e Mato Grosso. No total, 16,2 mil indígenas dos povos Kayapó, Ashaninka, Yawanawá e etnias que vivem no Alto Xingu estão sendo beneficiados. 

Nesse primeiro ano de ações do projeto, o trabalho foi focado na consulta aos povos, atualização de planos de vida, monitoramento territorial, fortalecimento institucional com a construção, adequação e equipagem de locais de trabalho, fortalecimento de cadeias produtivas já existentes, além do artesanato e etnoturismo. O projeto também apoia a formação de novos líderes, fornecendo treinamento estratégico para mulheres e jovens. No programa de fomento para mulheres indígenas líderes em soluções ambientais, quatro mulheres desenvolvem projetos voltados para medicina tradicional e a implementação de sistemas agroflorestais nas aldeias.  

Em razão da pandemia, desde 2020 realizamos ajuda emergencial para algumas populações indígenas. No total, já foram investidos R$ 900 mil que beneficiaram 27 mil pessoas de mais de 70 aldeias. Eles receberam equipamentos de atendimento médico, equipamentos de segurança, cestas básicas, utensílios pra pesca e roçado, sementes e mudas, entre outros itens.

 

Projeto Parceria para o Bom Desenvolvimento será concluído com importante legado para a região do Matopiba

GGP_ci_51760272_Medium (1)

Chegou ao fim em 2021 o Projeto Parceria para o Bom Desenvolvimento (GGP, na sigla em inglês). Desenvolvido com foco em 10 municípios do Oeste da Bahia e região central do Tocantins, o GGP promoveu a sustentabilidade na cadeia produtiva de soja na região conhecida como Matopiba (região formada pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), que hoje abriga a última fronteira agrícola do país. O projeto foi executado pela CI-Brasil, financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) e coordenado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O desafio foi o de conciliar a produção de soja e a conservação da natureza, por meio de ações que integram as diferentes partes da cadeia: produção, demanda e transações financeiras. Confira alguns dos resultados do GGP: 

  • Mais de 60 mil hectares diretamente beneficiados com a adoção de tecnologias de baixo carbono nos estados do Tocantins e Bahia 

  • 17% de aumento de produtividade na adoção de boas práticas agrícolas para os sojicultores e 25% de aumento de produtividade para os pecuaristas 

  • Mais de 330 mil hectares diretamente apoiados para regularização ambiental e conformidade com o Código Florestal 

  • Mais de 150 mil pessoas beneficiadas pela criação de um Parque Natural Municipal no município de Barreiras, na Bahia 

  • 10 cartilhas sobre gênero e produção sustentável elaboradas por mulheres especialistas em temas selecionados

 

INOVAÇÃO EM CIÊNCIA E FINANÇAS

Informações precisas para a tomada de decisão 

Radar

A ciência é a luz que guia nosso caminho na Conservação Internacional. Esse ano nosso trabalho foi marcado por ela, mais uma vez, com a produção e publicação de informações qualificadas e confiáveis. Publicamos os livros O Futuro Além da Paisagem, publicação que marca os 30 anos da CI-Brasil, completados em 2020, e o livro Matopiba – Perspectivas sobre a Sustentabilidade da Soja, que reúne os resultados do trabalho realizado ao longo dos cinco anos do Projeto GGP. Também pelo GGP foram publicadas 14 Notas Técnicas sobre temas diversos como produção sustentável, gênero, salvaguardas ambientais e outros. 

Também em 2021 foi lançada a ferramenta Radar de Sustentabilidade para apoiar o planejamento territorial na região do Matopiba. O radar fornece dados e análises realizados a partir de métodos científicos, para dar suporte à tomada de decisão de atores públicos e privados quanto à gestão dos recursos naturais e produtivos na região. 

 

Contatos para imprensa

Michele Verçosa – Gerente de Comunicação
mvercosa@conservation.org
Tel: +55-21-2173-6389 / +55-21-99032-5690