Proteger a natureza todos dependemos para comida, água fresca e meios de subsistência

My Africa estreia no RioZoo

maio 2, 2018

??

Experiência em realidade virtual My Africa estreia no RioZoo

O projeto de realidade virtual da Conservação Internacional foi exibido no Festival de Cinema de Tribeca 2018

 ?

A coexistência pacífica entre homens e animais selvagens é o tema central do projeto em realidade virtual My Africa, produzido para a Conservação Internacional pela Passion Planet associada à Vision3, e viabilizado mundialmente pela Fundação Tiffany & Co, com apoio na distribuição por Glassybaby. Selecionado e exibido no Festival de Cinema de Tribeca 2018, até o último domingo, ele leva o telespectador até a África e mostra, além das exuberantes paisagens, a história de uma comunidade e sua relação com a vida selvagem. No Brasil, a produção estreia no RioZoo nesta sexta-feira dia 4 de maio, às 14 horas.

 

A história — que na versão original em inglês foi narrada pela atriz Lupita Nyong'o —  é narrada  pela jovem Naltwasha Leripe no dia a dia de sua comunidade que mostra como eles vivêm para ter o próprio sustento, como os animais são importante para eles e também leva o espectador junto ao resgate de um filhote de elefante das mãos dos caçadores. Gravado com câmeras e áudio em 360 graus, a história tem como principal objetivo despertar a consciência da conservação da vida selvagem na África, considerado um dos últimos lugares do mundo a  ter os animais terrestres deste porte vivendo livremente, assim como apoiar os projetos de conservação nas áreas protegidas em que a Conservação Internacional atua. A história se passa na reserva Namunyak Wildlife Conservancy, na região de Samburu, no Norte do Quênia

 

- "A realidade virtual é uma poderosa ferramenta para ampliar nossos esforços de conservação da natureza. Ela aproxima de todos nós, a vida das pessoas e os lugares onde elas vivem, promovendo maior consciência e proteção. É importante lembrar que o planeta é um só, a Amazônia tem conexão com quem está lá no Quênia, que é importante para quem está no continente americano e em todos os lugares do mundo. É preciso reforçar a importância da conexão entre as pessoas e a natureza", explica Rodrigo Medeiros, vice-presidente da Conservação Internacional no Brasil.

 

— "Este filme reflete o quão é importante proteger a fauna antes que ela seja extinta. Por isso, é tão necessário projetos de educação ambiental e ajudar a conscientizar as futuras gerações para conservação das espécies", diz Fernando Souza, diretor Institucional e de Sustentabilidade do Grupo Cataratas, grupo que gere o RioZoo

 

My Africa é o terceiro projeto de realidade virtual da Conservação Internacional, seguido por Amazônia Adentro e Valen's Reef e já alcançou mais de 3 milhões de views em todo o mundo até agora. O filme Amazônia Adentro (em inglês "Under the Canopy") ajudou a CI a restaurar mais de 2 mil hectares na floresta amazônica como parte da maior restauração na Amazônia, por meio da iniciativa Amazonia Live, que vai restaurar ao todo 73 milhões de árvores até 2023.

 

Para assistir nos óculos de realidade virtual, é possível fazê-lo por meio do app WITHIN, a partir do dia 5 de maio. Para experimentar pessoalmente, My Africa estará disponível, no Rio de Janeiro, das 10h às 17h, de sexta a? domingo e também nos feriados, na Sala da Educação Ambiental, no Rio Zoo.

 

Sobre o RioZoo

O Zoológico mais antigo do Brasil se prepara para uma nova fase em que passará por uma grande reforma e será transformado em um bioparque, conceito adotado pelos mais modernos zoológicos do mundo.

 

Saem grades e entra em cena o conceito de "enclausuramento inverso" e o de biosferas com animais de diferentes espécies reunidos em representações de ecossistemas, como Floresta Tropical, Savana Africana, entre outras. Toda ambientação se aproximará ao máximo dos habitats naturais das espécies. Com isso, o RioZoo irá melhorar a experiência para o visitante e proporcionará também um ambiente adequado para o seu plantel.

 

A previsão é concluir a transformação completa do parque em menos de dois anos, período em que o parque deverá se manter em funcionamento parcial. 

 

— Durante os 35 anos da concessão, o Grupo Cataratas devolverá à cidade do Rio de Janeiro e a seus moradores e visitantes, um espaço completamente renovado, com importantes projeto de educação ambiental, conservação e pesquisa em parceria com instituições brasileiras de ponta — explica Márcio Cunha, diretor do Zoológico do Rio.



Sobre a Conservação Internacional (CI)

Organização ambiental brasileira criada em 1990, integra uma rede internacional presente em mais de 30 países, com foco na conservação da natureza para a promoção do bem-estar. A CI-Brasil utiliza um conjunto inovador de ciência, políticas e parcerias para proteger a natureza que dependemos para sobreviver: alimentos, água e os meios de subsistência.  Visite: www.conservacao.org.br

 

SERVIÇO

Parque da Quinta da Boa Vista, S/N

Horário de funcionamento: 

De sexta a domingo, das 10h às 17h

Ingressos: R$ 20 (tarifa normal) e R$ 10 (tarifa reduzida*) para crianças de 3 a 12 anos, estudantes do Estado do Rio de Janeiro de 13 a 21 anos, brasileiros com mais de 60 anos e pessoas com deficiência (com direito a acompanhante). Crianças menores de 3 anos não pagam entrada.

(*) Obrigatória a apresentação de documento de comprovação na catraca de acesso.

 

Informações para a imprensa
Conservação Internacional:

Priscila Steffen
(21) 96987-3428

 

Grupo Cataratas:

Approach Comunicação

Aline Zapp

aline.zapp@approach.com.br

Vanessa Rodrigues
vanessa.rodrigues@approach.com.br

(21) 3461-4616 

Contatos para imprensa

Priscila Steffen – Gerente Sênior de Comunicação
psteffen@conservation.org
Tel: +55-21-2173-6389 / +55-21-99032-5690