A maior RPPN da Mata Atlântica aprova Plano de Manejo

 

Belo Horizonte, 10 de junho de 2013 —

Uma boa notícia para a conservação em terras privadas: a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Santuário do Caraça teve seu plano de manejo aprovado através da Portaria n° 189 do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Com 10.187,89 hectares nos municípios de Catas Altas e Santa Bárbara (MG), o Santuário do Caraça é uma das maiores reservas particulares na Mata Atlântica e protege também áreas de Cerrado.

Os dois municípios onde a RPPN está localizada estão 100% dentro dos limites do Mapa da Área de Aplicação da Lei nº 11.428, de 2006, segundo Decreto nº 6.660, de 21 de novembro de 2008, publicado no Diário Oficial da União de 24 de novembro de 2008.

A elaboração do Plano de Manejo da reserva recebeu apoio do X Edital do Programa de Incentivo às RPPNs, coordenado pelas ONGs Conservação Internacional (CI-Brasil) e SOS Mata Atlântica. O Programa, que está comemorando 10 anos em 2013, apoiou nesse período a criação de 361 novas reservas particulares – sendo 194 já reconhecidas – e a gestão de outras 101 reservas já existentes,  num total de 56 mil hectares protegidos.

O Programa de Incentivo às RPPNs está com inscrições abertas para seu XII Edital, que destinará 300 mil reais à criação e gestão de RPPNs na Mata Atlântica. Interessados poderão inscrever suas propostas até 15 de julho de 2013. O edital conta com recursos do Bradesco Capitalização e Instituto Credit Suisse Hedging Griffo. Saiba como concorrer em:http://www.conservacao.org/arquivos/XII_EDITAL_PROGRAMA_RPPN_MATA_ATLANTICA.pdf .

Sobre Reservas Particulares

Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) é uma categoria de unidade de conservação criada pela vontade do proprietário rural, que decide transformar sua terra em uma reserva e assume compromisso com a conservação da natureza.

As RPPNs são importantes para proteger as riquezas naturais e ambientes históricos, além de ajudar na preservação da água, na regulação do clima, na limpeza do ar, no desenvolvimento de pesquisas científicas dentre outros serviços ambientais. Atividades recreativas, turísticas, de educação e pesquisa são permitidas na reserva, desde que sejam autorizadas pelo órgão ambiental responsável pelo seu reconhecimento.

Dessa forma, muitas RPPNs geram renda e conhecimento em sua região, com atividades como ecoturismo, educação ambiental e artesanato. Saiba mais:

·        Programa de Incentivo às RPPNs

·        Como participar

·        www.reservasparticulares.org.br

·        www.icmbio.gov.br/portal/servicos/crie-sua-reserva.html