Exploração de petróleo e gás no pré-sal em debate

Brasil produzirá mais de 6 milhões de barris de petróleo por dia até 2020

Rio de Janeiro, 19 de junho de 2012 —

Os efeitos da exploração de petróleo e gás no pré-sal foi tema de debate realizado ontem, 18, na tenda Greenpeace, na Cúpula dos Povos. Guilherme Dutra, diretor do Programa Marinho da CI-Brasil, dividiu a mesa com David Lee, professor da UFRJ; Sérgio Leitão e Nilo D´Ávila, do Greenpeace, que, por mais de duas horas fizeram apresentações e debateram com o público presente.

Nilo D´Ávila falou sobre o futuro com o pré-sal, alertando que, como terceiro maior emissor mundial de gases do efeito estufa – atrás somente de China e Estados Unidos, respectivamente – o Brasil tem tudo para se manter entre os principais responsáveis pelas mudanças climáticas, mesmo se sua principal contribuição para o problema, o desmatamento, seguir a tendência de queda dos últimos anos.

Puxado pelas reservas do pré-sal, o Brasil produzirá 6,09 milhões de barris de petróleo por dia até 2020. Isso representa 955,82 milhões de toneladas de CO2 a mais na conta das emissões mundiais – um crescimento de 197% comparado com os números atuais.

O Greenpeace distribuiu um mapa com a radiografia das emissões de carbono da indústria de petróleo no Brasil. A análise se concentra em dados coletados entre setembro de 2010 e agosto de 2011 sobre a produção dos mais de 9.000 poços atualmente em operação no país, em terra ou no mar.

A conclusão é a de que o petróleo brasileiro foi responsável, neste período, pela emissão de um total de 321,474 milhões de toneladas de CO2 aqui ou nos países para onde este óleo foi exportado e refinado. Isso equivale a 5,7 bilhões de viagens de avião entre Rio e São Paulo.

Guilherme Dutra ressaltou que é preciso olhar para o futuro quanto à conservação dos oceanos e entender onde, de fato, se quer chegar. “Temos que ter cuidado nas escolhas geográficas, investir em tecnologia, em monitoramento e na contenção para não chorarmos mais tarde pela morte anunciada”, alertou.