Rock in Rio, Conservação Internacional e Instituto E se unem em prol da água, grande desafio ambiental da atualidade

Antes e durante do festival, o público será convidado a se engajar na causa, por meio de leilão de guitarras assinadas por artistas e jogo interativo. A meta é contribuir com a restauração de 9 milhões de árvores na Bacia do Rio Guandu, principal fonte de água da cidade do Rio.


 
Rio de Janeiro, 2 de setembro de 2015 – A Conservação Internacional (CI-Brasil), organização ambiental presente no país há 27 anos, fechou parceria com o Rock in Rio e o Instituto E, associação voltada para o desenvolvimento sustentável, para reflorestar a Bacia do Rio Guandu, principal fonte provedora de água da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. A meta é contribuir com o replantio de 9 milhões de árvores em locais estratégicos da região. O desafio está sendo lançado hoje na sede do Rock in Rio e contará com diversas ações para engajamento do público e captação de recursos até o fim do festival.

“A escassez de água no Brasil e no mundo é uma das questões ambientais mais importantes debatidas atualmente e, por isso, a escolhemos como tema prioritário de nosso projeto ‘Por um mundo melhor’ para esta edição do Rock in Rio. O que faremos aqui é apenas o start up de um projeto muito maior, que beneficiará milhões de pessoas. Queremos plantar na cabeça das pessoas a semente de um ideal de vida consciente e sustentável”, afirma Roberta Medina, vice-presidente do Rock in Rio. Segundo ela, uma das iniciativas para ajudar na captação de recursos será o leilão de guitarras assinadas por artistas, nacionais e internacionais. “O dinheiro arrecadado no leilão virtual de guitarras autografadas por alguns dos principais artistas do Rock in Rio será revertido para ampliar a quantidade de árvores plantadas. Nomes como Queen, Metallica, A-Ha e System of a Down são alguns que já garantiram a assinatura no instrumento”, explica.

Na Cidade do Rock, durante os sete dias de evento, promotores da Conservação Internacional percorrerão o evento propondo um jogo interativo com o público. Por meio de um tablet, o visitante será convidado a ouvir o trecho de uma música e adivinhar qual banda ou artista do Rock in Rio está cantando. Ao acertar, uma nova árvore será plantada numa maquete virtual da Bacia do Rio Guandu. “Apesar de ser um jogo figurativo, realmente viabilizaremos essa árvore no Guandu. Queremos reforçar com o público que sem árvores não teremos água em qualidade e quantidade para o bem-estar das pessoas. O que faremos no Rock in Rio é o passo inicial de um projeto muito maior, chamado MegaRio, que beneficiará 13 milhões de pessoas do Rio de Janeiro.” explica Rodrigo Medeiros, vice-presidente da CI-Brasil.

Nina Braga, diretora do Instituto E, concorda: “Não cuidar da água num mundo em que mais de um bilhão de pessoas não têm acesso à água potável deixou de ser uma opção. Sem o uso racional deste recurso que é finito e essencial à vida, um colapso será inevitável. Logo, urge ativar e engajar o máximo de pessoas em uma ação como esta em que não só chamará atenção para os riscos que ameaçam a principal fonte de abastecimento da nossa cidade, como também fará - efetivamente - diferença, mesmo que seja a médio prazo”.

A região foco do reflorestamento no alto da Bacia do Rio Guandu, que fica a oeste da cidade do Rio de Janeiro, é responsável pela provisão de água para 80% da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, envolvendo 30 cidades e mais de 13 milhões de pessoas. É também responsável pela produção de energia para 25% da população dessa região. A iniciativa de reflorestamento, que faz parte do projeto MegaRio da CI-Brasil, abraçada pelo Rock in Rio e Instituto E vai permitir ainda conservar a rica biodiversidade dessa porção da Mata Atlântica, promover o desenvolvimento socioeconômico das comunidades locais e contribuir para a mitigação das mudanças climáticas.

Slide1.JPGLocalização da bacia do Rio Guandu

Leilão de guitarras

A fim de captar fundos para ampliar a iniciativa de restauração da Bacia do Rio Guandu, a parceria entre as três organizações promoverá um leilão virtual de guitarras autografadas por alguns dos principais artistas do Rock in Rio. O montante obtido será revertido para ampliar a quantidade de árvores. “A CI-Brasil, em parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro e outras organizações, tem como meta restaurar, em 10 anos, 5.400 hectares de áreas que já foram recobertas com Mata Atlântica um dia na bacia do Rio Guandu. Desse total 3.000 hectares são críticos para melhorar a provisão e a qualidade da água na bacia Rio Guandu.  Nos estudos que realizamos, em 10 anos isso representará uma economia de R$ 20 milhões para o Estado, já que a recuperação das matas permitirá uma melhoria significativa na qualidade da água, reduzindo os custos de tratamento hoje realizado na Estação do Guandu", exemplifica Medeiros. Entre os artistas e bandas que já autografaram guitarras para o leilão estão Queen, Metallica, System of a Down, A-Ha, OneRepublic e De la Tierra. O leilão será feito virtualmente, pelo site https://www.esolidar.com/rockinrio. Algumas bandas, como A-Ha, System of a Down e De La Tierra aceitaram ainda o desafio de assinar a guitarra na presença do fã que der o maior lance.

Lenine, artista que fala sobre a natureza em suas canções, é um dos músicos engajados na ação. Além de ter uma das guitarras que serão leiloadas, ele participou da apresentação do projeto nesta quarta-feira. “Em toda a minha obra, a preocupação com o planeta está presente, seja na poesia ou na prática diária, como a redução do impacto ambiental em minha turnê ou na atuação junto aos grupos socioambientais”, diz.

Campanha

Para manter o tema vivo durante todos os dias do Rock in Rio, a CI-Brasil vai lançar no festival o filme “Água”, que integra a campanha internacional da organização “A Natureza está Falando”. A campanha, inicialmente com sete filmes, dá voz a elementos da natureza e convida a sociedade a refletir sobre o quanto os humanos precisam da natureza para continuar a existir. Narrado no Brasil pela atriz Maitê Proença, o filme “Água” recebeu a voz de Penélope Cruz em sua versão norte-americana. Site: anaturezaestafalando.org.br

Em paralelo, o Rock in Rio também veiculará campanha convidando a população a evitar o desperdício de água. O filme será exibido nas mídias tradicionais a partir de 2 de setembro e também no site do festival: www.rockinrio.com.  

Rock in Rio - Com 30 anos de história, o Rock in Rio é o maior evento de música e entretenimento do mundo por uma série de razões. Das quinze edições anteriores, cinco ocorreram no Brasil (1985, 1991, 2001, 2011 e 2013), seis em Portugal (2004, 2006, 2008, 2010, 2012 e 2014), três na Espanha (2008, 2010 e 2012) e uma nos Estados Unidos (2015). Em setembro, a sexta edição no Brasil acontecerá na Cidade do Rock.

Combinando todas as edições já realizadas, mais de 7,7 milhões de pessoas já participaram do evento. Outro número que não para de crescer é o das redes sociais, nas quais o Rock in Rio está quebrando recordes com mais de 11 milhões de seguidores. Em termos de atrações, somando-se as edições brasileiras, portuguesas, espanholas e americana, mais de 1.359 atrações musicais se apresentaram nos palcos do Rock in Rio, com um total de 1.200 horas de música, com transmissão para mais de 1 bilhão de telespectadores em todo o mundo, pela TV e Internet.

Ao longo dos anos, mais de US$ 530 milhões foram investidos na marca.  Além disso, mais de US$ 23,2 milhões foram investidos em projetos sociais e ambientais. Mais do que os índices de audiência e de investimentos significativos, o Rock in Rio tem ajudado na economia dos lugares visitados: mais de 148 mil postos de trabalho foram gerados ao longo dos últimos 29 anos. Na Espanha, o festival é top of mind, superando a concorrência da Fórmula 1. Na edição de 2013, 46% da plateia do Rock in Rio era de fora do estado do Rio de Janeiro. O impacto econômico da edição de 2013 na cidade, publicado pela Riotur, foi de R$ 1 bilhão, e as taxas de ocupação de hotéis eram de cerca de 90% no período.

Conservação Internacional (CI-Brasil) - Organização ambiental brasileira criada em 1990, integra uma rede internacional, presente em mais de 30 países, com foco na promoção do bem-estar humano por meio da conservação dos recursos naturais. Website: www.conservacao.org.br.

Instituto E - Organização socioambiental, o Instituto-E foi criado com o objetivo de expandir a sensiblização e a informação ambiental que transforma conceitos em atitudes. Atua em parceria com organizações da sociedade civil e do governo, apoiando e comunicando ações ambientais.

Informações para a imprensa:

Conservação Internacional
In Press Porter Novelli

Suzana Ribeiro – suzana.ribeiro@inpresspni.com.br
21. 3723-8117


Paula Reiter – paula.reiter@inpresspni.com.br
21. 3723-8126

 

Rock in Rio
Approach Comunicação Integrada


Fabiana Fuchs - fabiana.fuchs@approach.com.br

(21) 3461-4616 r. 147 / 99362-3457


Fabiana Guimarães - fabiana.guimaraes@approach.com.br

Instituto E

Nina Braga - nina@institutoe.org.br
(21) 2529 2876