O Projeto Semeando Águas no Paraguaçu ajuda a recuperar rio que abastece a Região Metropolita de Salvador/BA

 

A Bacia Hidrográfica do Rio Paraguaçu é uma das mais estratégicas para a Bahia, fundamental para o abastecimento de água da Região Metropolitana de Salvador (3ª maior do Brasil) e de mais de 80 municípios baianos. Tamanha importância torna ainda mais preocupante o seu estado de degradação, com o assoreamento dos cursos d'água, a perda de vegetação nativa e a contaminação de suas águas por esgoto sem tratamento, efluentes industriais e resíduos químicos de agrotóxicos.

Para ajudar na reversão deste quadro, a Conservação Internacional (CI-Brasil), a Secretaria Estadual de Meio Ambiente da Bahia (Sema-BA) e o Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Inema) desenvolvem o Projeto Semeando Águas no Paraguaçu, iniciativa que conta com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental.

Desde março de 2014, quando o Projeto foi iniciado, aproximadamente 60 hectares de áreas de nascentes e áreas estratégicas ao longo do curso d'água do Rio Paraguaçu e afluentes estão sendo restauradas, por meio do plantio de 45 mil mudas de plantas nativas. "O Projeto foi criado com os objetivos centrais de mobilizar a sociedade em prol da melhoria da qualidade e quantidade das águas do Paraguaçu, bem como desenvolver estudos sobre a bacia hidrográfica e implantação de áreas demonstrativas de restauração ecológica e sistemas agroflorestais em locais estratégicos da região", esclarece o geógrafo Rogério Mucugê, coordenador do Projeto.

A ação beneficia milhares de pessoas. "Abrange uma área de aproximadamente 16.600 km², incluindo territórios totais ou parciais de 16 municípios baianos (Andaraí, Barra da Estiva, Boninal, Bonito, Ibicoara, Iraquara, Lençóis, Morro do Chapéu, Mucugê, Mulungu do Morro, Palmeiras, Piatã, Seabra, Souto Soares, Utinga, e Wagner), beneficiando uma população de aproximadamente 290 mil pessoas" afirma o titular da Sema-BA, Eugênio Spengler.  "O projeto atua na gestão de corpos hídricos superficiais e subterrâneos da bacia hidrográfica do rio Paraguaçu, com o objetivo de elaborar um plano estratégico para manutenção e recuperação da capacidade hídrica da bacia, incluindo a identificação das áreas mais importantes para a produção de água".

Para a diretora geral do Inema, Márcia Telles, a intenção é mobilizar os agentes locais para a recuperação ambiental da bacia do rio Paraguaçu. "Além de implantar ações de referência para a adequação ambiental das propriedades rurais e de restauração ecológica de matas ciliares e nascentes", complementa.

Capacitação de ribeirinhos e criação da Rede de Sementes e Mudas

Nos dois anos de atuação, o Projeto Semeando Águas no Paraguaçu agregou aspectos de revitalização ambiental às iniciativas culturais e sociais que têm foco na sustentabilidade da bacia do Paraguaçu. Realizou diversas ações educativas e promoveu mobilizações que contaram com a participação de centenas de ribeirinhos urbanos e rurais, incluindo núcleos extrativistas, lavradores, quilombolas e indígenas.

Para a coleta de sementes, produção de mudas e capacitação em restauração ecológica no campo, processos fundamentais para desenvolver a restauração florestal, foram fortalecidos viveiros de associações comunitárias existentes na região, juntamente com demais atores de iniciativas semelhantes existentes no Alto Paraguaçu. "A Rede de Sementes e Mudas do Paraguaçu foi criada a partir das ações alavancadas pelo Projeto e atualmente essa rede vem trocando saberes e buscando se articular regionalmente, objetivando fortalecer suas iniciativas no território", afirma Rogério Mucugê.

Cadastro Ambiental Rural / Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais

As propriedades beneficiadas com áreas demonstrativas de restauração ecológica e sistemas agroflorestais estão sendo também adequadas ambientalmente, por meio do Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR), instrumento do Estado da Bahia que atende aos requisitos do Cadastro Ambiental Rural (CAR), obrigatório no país a partir do Novo Código Florestal (2012).

Estas propriedades estão localizadas nos municípios baianos de Barra da Estiva – onde fica a principal nascente do Rio Paraguaçu –, Ibicoara, Mucugê e Utinga, que fazem parte da região do Alto Paraguaçu. "O Alto Paraguaçu historicamente sofre com a diminuição da quantidade e da qualidade de suas águas, o que interfere negativamente nos fatores ambientais, sociais e econômicos da bacia do Paraguaçu e de grande parte do território baiano", explicou Rogério Mucugê.

Mais de 3 milhões de pessoas dependem da Bacia do Rio Paraguaçu

Com uma área aproximada de 55 mil km², toda ela no território baiano, a Bacia Hidrográfica do Rio Paraguaçu abastece mais de 3 milhões de pessoas distribuídas entre a Região Metropolitana de Salvador e os mais de 80 municípios localizados em seu curso. Suas principais nascentes estão localizadas na Chapada Diamantina, região berço de outros rios e conhecida como a "caixa d´água" da Bahia.

Suas águas nascem em áreas de Caatinga, Campos de Altitude e encraves de Mata Atlântica e cruzam o semiárido. O Rio Paraguaçu percorre 614 quilômetros até a sua foz, na Baía de Todos os Santos, permeando sua riqueza em uma região com alta diversidade social, cultural e ecológica.

Para o desenvolvimento de suas ações, o Projeto Semeando Água no Paraguaçu contou com apoio da base de dados de outros projetos já desenvolvidos na região do Alto Paraguaçu pelo Governo do Estado da Bahia.

Sobre a Conservação Internacional

A Conservação Internacional (CI) é uma organização privada, sem fins lucrativos, fundada em 1987, que atua em mais de 30 países nos seis continentes com o objetivo de promover o bem-estar humano para garantir um planeta saudável e sustentável para todos. A CI utiliza um conjunto inovador de ciência, políticas e parcerias para proteger a Natureza, da qual dependemos para sobreviver: alimentos, água e os meios de subsistência. Saiba mais sobre a CI-Brasil: www.conservacao.org.br e acompanhe o nosso trabalho no Facebook, Twitter e Instagram.

Mais informações sobre o projeto: www.semeandoaguas.org.br