​​​​

Conservação Internacional nas Olimpíadas 2016:  reflexão do legado olímpico com o foco na Agenda 2030
 
Iniciativas abrangem as metas 2 e 11 dos ODS Globais 
 
Dois dos maiores desafios que os países do mundo têm pela frente passam pela questão da alimentação e da qualidade de vida sustentável para a população. Em setembro de 2015, os estados membro das nações unidas acordaram em 17 ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) que orientam globalmente e possibilitam o monitoramento do desenvolvimento sustentável das nações, de uma forma transversal e integrada. Dentre os 17 objetivos, o ODS 2 foca na pauta da fome e nutrição, olhando para o alcance da segurança alimentar e melhoria nutricional das pessoas. Já o ODS de número 11 atenta para um futuro onde as cidades e os assentamentos humanos serão inclusivos, seguros e resilientes. 
 
Pensando nisso, dentro do contexto de grandes eventos, a CI-Brasil fez parcerias para debater soluções saudáveis de nutrição e uma transformação urbana sustentável para o Rio de Janeiro.  A começar pela iniciativa Rio Alimentação Sustentável (RAS), que tem secretaria executiva da CI-Brasil e a WWF_Brasil (World Wildlife Fund) e é formada por uma aliança de 35 organizações da sociedade civil, governo, instituições de pesquisa e os principais selos de certificação com o objetivo de traçar estratégias de fomento para a cadeia de alimentos saudáveis e sustentáveis no Brasil. A RAS colaborou com a elaboração da política oficial de aquisição de alimentos das Olimpíadas, a partir de um diagnóstico nacional da oferta de produtos que obedecem a critérios de produção responsáveis. Foram catalogados 6 mil fornecedores em atividade formando o maior banco de dados de fornecedores sustentáveis do Brasil. 
 
Além disso, foram criadas as Feiras Rio Alimentação Sustentável com a proposta de oferecer gastronomia típica e produtos certificados como opção saudável de alimentos com origem direta da agricultura familiar. Uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico Solidário (SEDES/Prefeitura do Rio de Janeiro) e com o Programa Rio Rural, da Secretaria de Agricultura do Estado do Rio de Janeiro, a feira aconteceu de 12 a 14 de agosto em dois pontos diferentes da cidade (Largo do Machado e Praça do O, na Barra da Tijuca) com o apoio do Ministério do Meio Ambiente.  Para Rodrigo Medeiros, vice-presidente da CI-Brasil, “no momento em que o Rio de Janeiro recebe os Jogos Olímpicos, além dos cariocas, milhares de visitantes poderão conhecer o que é produzido na região de forma sustentável e justa”, disse.
 
Já no âmbito das cidades sustentáveis, a CI-Brasil, juntamente da SDSN (Sustainable Development Solutions Network), propôs um debate amplo e aberto sobre diversas questões urbanas relacionadas com o contexto olímpico e o legado para a cidade. Essa herança é fruto das transformações promovidas para receber todo o público previsto, desde comissão organizadora, atletas, jornalistas de todo o mundo e turistas. O legado é analisado e debatido segundo o olhar dos  Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, identificando potencialidades de ação que impactem na inclusão, conectividade e resiliência da cidade. Diante da oportunidade de pensar o futuro com relação à infraestrutura e ao desenvolvimento sustentável, foi promovida a mesa-redonda “Legado Olímpico e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”, debate que ocorreu no Rio Media Center dos Jogos Olímpicos e reuniu representantes de organizações da sociedade civil, poder público e comitê organizador imbuídos nesta reflexão.
 
A mesa foi moderada pelo chair da SDSN Brasil e vice-presidente da Conservação Internacional Brasil, Rodrigo Medeiros, e contou com a participação de Rodrigo Rosa, assessor especial da Prefeitura do Rio; Tânia Braga, gerente geral de Sustentabilidade, Acessibilidade e Legado do Comitê Olímpico Rio 2016; Oskar Metsavaht, presidente do Instituto E; e Jose Marcelo Zacchi, da Casa Fluminense; além do diretor executivo da SDSN Brasil, Marco Simões. O evento resulta de uma parceria CI-Brasil, Prefeitura do Rio de Janeiro e Comitê Olímpico Rio 2016.
 
Conservação Internacional (CI-Brasil)
A Conservação Internacional é uma organização brasileira sem fins lucrativos fundada em 1990, cuja missão é promover o bem-estar humano fortalecendo a sociedade para, de forma responsável e sustentável, cuidar da natureza e da nossa biodiversidade global, amparada em base sólida de ciência, parcerias e experiências de campo. Com compromisso firmado com a Agenda 2030, pretende trabalhar cada dia mais para atingir sua missão.

Assessoria de Imprensa CI-Brasil
Mauricio Bianco – mbianco@conservation.org
Tel: 21-96824-0130