Iniciativa de US$4,5 milhões vai proteger florestas em 6 países

Parceria entre Daikin e CI visa fomentar florestas, comunidades e clima saudáveis em escala global

Arlington, EUA, 13 de maio de 2014 —

Hoje, a Conservação Internacional (CI) e a Daikin Industries, Ltd., anunciaram a expansão de sua parceria, que agora inclui uma colaboração de longo prazo em seis ecossistemas florestais críticos distribuídos em diferentes regiões do planeta. 

Esse novo esforço entre a CI e a Daikin – líder japonesa no fornecimento de sistemas de condicionamento de ar residenciais, comerciais e industriais – estará concentrado em atividades de conservação de florestas e de educação ambiental, visando fomentar meios de vida sustentáveis em escala global, direcionadas à redução das emissões de dióxido de carbono (CO2) e à salvaguarda das florestas mais críticas do planeta para o bem-estar humano.

A parceria com a CI faz parte do projeto de responsabilidade social corporativa da Daikin, chamado “Forests for the Air”, ou “Florestas para o Ar”, que foi lançado hoje em Osaka, Japão. Por meio desta iniciativa, a Daikin - produtora de condicionadores de ar de baixo consumo de energia – visa proteger “o condicionador de ar da natureza” – quase 11 milhões de hectares de florestas espalhadas pelo mundo.

A Daikin investirá US$4,5 milhões nesta parceria por 10 anos, para apoiar seis florestas críticas, de importância global para o bem-estar humano, nas quais a CI tem programas ou iniciativas em andamento, concentrando-se na mitigação da mudança climática e na preservação de recursos naturais.

A parceria Daikin-CI começou em 2008, no Parque Nacional Gunung Gede-Pangrango, da Indonésia, para proteger o reservatório hídrico, a vida silvestre e a flora endêmica à região, com esforços de reflorestamento. Até esta data, o projeto “Green Wall” (literalmente, “Muralha Verde”), como ficou conhecido, já plantou aproximadamente 120.000 árvores nativas em 300 hectares. Este reflorestamento resguarda a bacia hidrográfica, que contribui com um fluxo confiável de água limpa para mais de 30 milhões de pessoas na região, que dependem da água oriunda de toda a bacia Gedepahala, onde se insere o parque.  

“Ficamos honrados, porque a Daikin confiou-nos uma iniciativa de conservação de florestas que atingiu uma escala global a partir de nosso projeto na Indonésia”, afirma Yasushi Hibi, diretor da CI Japão.“Estamos entusiasmados com a perspectiva de trabalhar de forma conjunta para proteger estas florestas, e, como consequência, garantir um planeta produtivo e saudável para todos, especialmente para as pessoas que vivem nestas florestas”.

Protegendo as florestas em pé e restaurando as florestas nos locais onde houve a conversão da terra, obtém-se benefícios substanciais para o atendimento de necessidades humanas imediatas, tais como fluxos contínuos de água limpa e um clima estável. A maioria das emissões de CO2 que contribuem para a mudança climática origina-se de atividades de desmatamento, as quais liberam CO2 na atmosfera quando as florestas são derrubadas ou queimadas. Estas atividades são responsáveis por aproximadamente 11% de todas as emissões de gases do efeito estufa de geração antrópica, ou o equivalente às emissões de todos os automóveis e caminhões combinados.

“Continuamos avançando em nossos esforços de conservação, apesar de enfrentarmos pressões desenvolvimentistas sem precedentes”, aponta Alexandre Brasil, diretor do programa Amazônia da CI-Brasil. “Entre as várias iniciativas que temos em andamento no Amapá, o apoio recebido da Daikin nos ajudará a desenvolver programas de agrofloresta e ecoturismo. Estes visam proporcionar às comunidades locais meios sustentáveis de renda, ao mesmo tempo em que garantem que as florestas do estado sejam protegidas, dentro e ao redor de suas operações”.

A iniciativa de conservação da Daikin juntamente com a CI se alinha bem com as metas de Aichi, pela Convenção das Nações Unidas sobre a Diversidade Biológica (CDB). São 20 metas ambiciosas adotadas em Nagoya, Japão, em 2010, que em parte visam recuperar 15% dos ecossistemas degradados do mundo até 2020. A CDB afirma que as metas podem ser parcialmente atingidas por meio de projetos de reflorestamento.

"Nossa parceria de longo prazo nos dá a oportunidade de globalizar o trabalho exitoso realizado na Indonésia com a Conservação Internacional," declara Noriyuki Inoue, presidente do conselho e CEO da Daikin Industries, Ltd. "A Daikin acredita em iniciativas com resultados sustentáveis de longo prazo e permanece comprometida em contribuir com o meio ambiente e em prover recursos para o bem-estar da humanidade”.

Florestas Críticas
Os investimentos da Daikin junto à CI fomentarão iniciativas de sustentabilidade que resguardam os recursos naturais e melhoram a qualidade de vida de comunidades locais, por meio das iniciativas da CI no Brasil, Camboja, China, Índia, Indonésia e Libéria. Cinco dessas seis iniciativas estão localizados emhotspots de biodiversidade, que abrigam quantidades significativas de espécies endêmicas e são consideradas os ecossistemas mais ameaçados da Terra.

Brasil: Na região da selva amazônica, a Daikin apoiará o trabalho da CI-Brasil no Corredor de Biodiversidade do Amapá, e ajudará a planejar e implementar um programa abrangente de desenvolvimento que prevê e previne impactos negativos provocados pelos investimentos em infraestrutura.

Camboja: Há mais de uma década, a CI tem trabalhado com o governo cambojano e com  comunidades para a proteção da Floresta Protegida Central dos Cardamomos, parte do hotspot de Índia-Myanmar. Com o apoio da Daikin, a CI continuará seus esforços de conservação da maior floresta tropical úmida do sudeste asiático, que tem uma das taxas de desmatamento mais baixas dentre todas as áreas florestadas da região. Além disso, essa iniciativa promoverá opções alternativas de sustento para as comunidades locais, como a comercialização de resinas, vime e a promoção do ecoturismo.

China: Por meio da promoção de práticas agroflorestais em áreas-chave das montanhas do sudoeste do país, a contribuição da Daikin apoiará as ações da CI-China junto às comunidades locais nesse hotspotde biodiversidade, ajudando-as a se adaptarem e fortalecendo seu envolvimento na proteção da floresta. O programa reunirá tecnologias florestais e agrícolas para criar sistemas mais diversificados, produtivos, rentáveis e sustentáveis de uso da terra. As montanhas do sudoeste chinês amparam uma ampla gama de habitats, incluindo a flora endemicamente mais rica dos climas temperados, o macaco dourado, o panda gigante e o panda vermelho.

Índia: Diante de enormes pressões populacionais, as florestas do Ghats Ocidental sofreram impactos dramáticos provocados pelas demandas por terras para exploração madeireira e agrícola. Com a parceria, a Daikin fixou a meta de proteger 600 hectares de florestas que representam um hotspot de biodiversidade, através de iniciativas da CI na região. As áreas degradadas circunvizinhas a locais críticos terão prioridade, ao mesmo tempo em que criam oportunidades econômicas por meio de treinamento oferecido às comunidades locais sobre a utilização sustentável de recursos naturais. Estas medidas ajudarão as comunidades no cumprimento da Lei da Conservação Florestal, promulgada para mitigar a exploração ilegal de madeira na região, e na compreensão da relação entre os serviços ecossistêmicos e os meios de vida sustentáveis.

Indonésia: A Daikin também continuará a desenvolver suas atividades no Parque Nacional Gunung Gede Pangrango, na Ilha de Java, na Indonésia, que faz parte do hotspot de biodiversidade de Sunda (Ind