Oceanógrafa vem ao Brasil para defender metas de proteção

Sylvia Earle, que já trabalhou para a Conservação Internacional, esteve no país a convite da CI-Brasil para participar do Fórum Mundial de Sustentabilidade, em Manaus, e de palestra no ICMBio, além de reunião com o presidente do Senado, em Brasília

Brasília, 29 de março de 2012 —

Nesta semana, a renomada pesquisadora e oceanógrafa norte-americana Sylvia Earle esteve no Brasil a convite da CI-Brasil para participar do Forum Mundial de Sustentabilidade, em Manaus, e defender a meta de 10% de áreas protegidas marinhas no Brasil. Sylvia também fez palestra sobre o tema no ICMBio e se reuniu com o presidente do Senado, José Sarney, em Brasília.

Sylvia, uma das mais importantes defensoras dos oceanos da atualidade, ressaltou em suas palestras a redução substancial já comprovada em estudos de espécies marinhas e corais em todo o mundo. “Globalmente, já perdemos 50% dos recifes de corais. Mas há regiões, como no Caribe, onde cerca de 80% dos recifes de corais já foram destruídos. No Brasil, os corais ainda estão em bom estado de conservação em comparação com outros países, mas precisamos agir. Os corais, assim como as florestas tropicais, são os hábitats mais biodiversos do planeta, com o maior número de ocorrência de espécies distintas.”

Sylvia também defendeu o aumento da proporção de áreas protegidas marinhas no Brasil. “Hoje, no mundo, apenas 1% dos oceanos são protegidos. O Brasil está um pouco à frente, com 1,5% de proteção. Mas é muito pouco. Os oceanos são como o coração do planeta. Você acharia suficiente proteger somente 10% de seu coração?”, questiona.

“A vinda de Sylvia é motivadora para construir uma agenda desafiadora para os oceanos, tendo em vista a Rio+20 com novos rumos e diálogos a serem debatidos”, afirmou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que estava presente à palestra no ICMbio.

Sylvia participou ainda no Brasil de um encontro com empresários do Rio de Janeiro para discutir a saúde dos oceanos, a conservação marinha no Brasil e os esforços de proteção da região de Abrolhos (BA).

Guilherme Dutra, diretor do Programa Marinho da CI-Brasil, ressaltou que a visita de Sylvia foi muito produtiva, com destaque especial para o discurso forte e emocionante da oceanógrafa no Fórum Mundial de Sustentabilidade.

Sylvia Earle trabalhou como diretora da CI de 1999 a 2002 e seu trabalho em defesa dos oceanos se destacou principalmente pela iniciativa de construir uma agenda global de conservação marinha, por meio do encontro intitulado “Desafiando o fim dos oceanos” (DOE, em inglês), que aconteceu na cidade mexicana de Los Cabos, em 2003.

Saiba mais sobre o trabalho de Sylvia:http://www.sylviaearlealliance.org/