1,3 mil espécies foram registradas em Abrolhos

Região abriga a maior biodiversidade marinha conhecida em todo o Atla?ntico Sul

Caravelas, 20 de fevereiro de 2014 —

A Região dos Abrolhos, uma área com cerca de 95.000 km2 entre a costa sul da Bahia e norte do Espírito Santo, é reconhecida como a maior biodiversidade marinha conhecida em todo o Atlântico Sul.  Os recifes da região são as maiores do Brasil, com  estruturas únicas, a exemplo dos chapeirões -- recifes em forma de cogumelos de até 25 metros de altura e 50 metros de diâmetro -- e dos corais-cérebro (Mussismilia braziliensis) -- que têm a aparência de um cérebro, encontrados somente no litoral baiano.

A Região dos Abrolhos também apresenta a maior concentração de baleias-jubarte da costa brasileira. Entre julho e novembro, elas procuram as águas quentes, tranquilas e pouco profundas da região para acasalar e amamentar seus filhotes (elas dão à luz apenas um filhote, após uma gestação de 11 meses). Em torno de 28% das espécies de cetáceos registradas no Brasil são encontradas em Abrolhos -- a baleia-jubarte é a mais abundante. Esse percentual, no entanto, pode ser maior.

Inúmeros invertebrados, peixes, quelônios, aves e mamíferos marinhos ainda compõem a fauna local. Além deles, diferentes tartarugas encontram em Abrolhos importantes áreas de alimentação e reprodução. São elas as tartarugas-verde, de pente, de couro e cabeçuda.

Aves residentes e migratórias também se estabelecem no arquipélago para se alimentar e nidificar, como a grazina, os atobás-mascarado, marrom e beneditos.

Em levantamento da biodiversidade local (Rapid Assessment Program, em inglês), foram registradas cerca de 1,3 mil espécies. Quarenta e cinco delas, porém, eram consideradas ameaçadas de extinção, segundo a IUCN (2003) e o IBAMA (2003 e 2004).

Para manter vivo esse verdadeiro tesouro natural do Brasil e do mundo, a Aliança para Conservação de Ecossistemas Marinhos e Costeiros Associados à Mata Atlântica, parceria entre as organizações Conservação Internacional (CI-Brasil) e Fundação SOS Mata Atlântica, criou a campanha Adote Abrolhos.

Participe. Divulgue. Compartilhe.

Adote Abrolhos: É do Brasil. É do mundo. É nosso.