Papua Nova Guiné ganha primeira área nacional de conservação

3/2/2009

Port Moresby, Papua Nova Guiné (3 de março de 2009) – O governo da Papua Nova Guiné, país localizado no sudeste asiático e que abriga alguns dos ecossistemas biologicamente mais diversos do planeta, criou a sua primeira área nacional de conservação para preservar uma grande parte de sua floresta tropical.
 
A decisão do governo do país foi tomada com o apoio de comunidades locais vizinhas à área declarada protegida e resulta de mais de uma década de trabalho de biólogos conservacionistas do zoológico Woodland Park, de Seattle, nos Estados Unidos, e da ONG Conservação Internacional (CI).

A nova área de conservação foi batizada com as iniciais dos nomes dos três principais rios da Península de Huon: o Yopno, o Uruwa e o Som. A YUS protege uma área de 187.800 acres (76.000 hectares ou 760 quilômetros quadrados) de floresta tropical que se estende da costa norte até as montanhas no interior do país. 

A YUS representa um modelo de práticas modernas de conservação, pois oferece vários benefícios tanto para a vida selvagem quanto para as pessoas. Como florestas tropicais armazenam uma quantidade enorme de carbono, sua proteção evita a liberação desse gás de efeito estufa, que é uma das principais causas da mudança climática. O ecossistema da floresta é rico em várias formas de vida e provê inúmeros recursos e serviços que representam a base de sustento de dez mil moradores rurais que vivem no entorno da reserva. Além disso, a floresta é o habitat dos cangurus-de-árvore de Matschie, uma espécie classificada como “Ameaçada” pela União Mundial para a Natureza (IUCN, na sigla em inglês) e uma das criaturas mais singulares do planeta, com uma cabeça similar à dos ursos, uma cauda espessa e uma bolsa de marsupial.
 
“Ao criar a primeira área nacional de conservação, o governo e as pessoas da Papua Nova Guiné estabeleceram uma zona de segurança que era muito necessária para a biodiversidade insubstituível que essa área abriga”, diz Lisa Dabek, diretora de conservação de campo do zoológico Woodland Park e do Programa de Conservação do Canguru-de-Árvore (TKCP, na sigla em inglês).

Com o apoio da CI e da National Geographic, pesquisadores do TKCP trabalharam com os proprietários de terra e  com o governo da Papua Nova Guiné durante mais de 12 anos para criar a YUS, que constitui a primeira área de preservação oficializada pelo Ato de Conservação de Áreas, aprovado em 1978 pelo governo do país. A declaração dessa área protegida também marca a primeira vez que mais de 35 vilarejos indígenas da região participaram de uma ação conjunta para proteger a floresta, a vida selvagem e os ecossistemas onde vivem, que são vitais para a manutenção de sua cultura e de seu sustento.

Embora o território permaneça sob propriedade privada local, os moradores rurais da região se comprometeram formalmente a proibir a caça e as atividades econômicas de alto impacto ambiental  desenvolvimento, como exploração de madeira e mineração, na área protegida. A conservação das florestas tropicais da YUS vai evitar com que cerca de 13 milhões de toneladas de carbono que atualmente são armazenadas na biomassa da floresta sejam liberadas na atmosfera como dióxido de carbono.

“Essa nova área de conservação mostra quanto benefício se pode alcançar quando governos e pessoas trabalham juntos”, afirma o presidente da CI, Russell A. Mittermeier, que visitou a região no ano passado. “Espero que outros países com florestas tropicais sigam esse exemplo de combate à mudança climática e promovam a conservação simultânea dos ecossistemas dos quais as pessoas dependem, e que a comunidade internacional adote um tratado de mudança climática que compense o valor do seqüestro de carbono dessas florestas tropicais protegidas”.

O Fundo de Conservação Global da CI, que forneceu mais de US$ 1 milhão desde 2002 para apoiar o trabalho do TKCP com as comunidades e os proprietários de terra, se comprometeu a doar mais US$ 1 milhão para ajudar a estabelecer um fundo para o financiamento de longo prazo da YUS. O zoológico de Woodland Park.contribuirá com uma contrapartida de igual valor.

O governo alemão, por meio da LifeWeb Initiative, também fez uma doação à CI e ao zoológico Woodland Park para amparar a YUS, os projetos de desenvolvimento comunitário da Papua Nova Guiné e as pesquisas que estudam os efeitos da mudança climática sobre espécies presentes na área protegida.

Request an Interview

,

,

Related Content